João Pereira, mais conhecido por Jamba, em entrevista à Rádio Cinco, considerou "doente" o estado do futebol de formação no país e mostrou-se triste por ver alguns clubes a treinarem sem as condições necessárias.

“A nossa formação é doente! Os jogadores treinam com fome, nem água para banhar e equipamento para os treinos têm. Há poucos clubes que investem na formação e não sou o primeiro a falar disto”, lamentou.

Fez saber também que foi treinador dos júniores do ASA há um ano e não gostou de muitas coisas que viveu em termos de condições de trabalho. “Se eu descrever aquilo que vivi, não vou querer mais ser treinador”, sublinhou.

Sobre o próximo pleito eleitoral da FAF, que vai envolver quatro a cinco candidatos, Jamba revelou que prefere Norberto de Castro na presidência do organismo e justificou:

“Ele faz muito para o futebol em Luanda e em outras províncias. Entre os candidatos, Norberto de Castro é a pessoa que reúne condições para dirigir a Federação. E se ele for o presidente, o nosso futebol vai mudar qualquer coisa”, realçou.

O ex-internacional sabe que os pleitos eleitorais em África muitas das vezes não convencem o público. Contudo, espera que haja transparência.

Jamba nasceu há 43 anos na província de Benguela e passou pelo 1.º de Maio local. Jogou em 29 ocasiões pelos Palancas Negras, com realce para o Mundial de 2006, decorrido na Alemanha, no qual o combinado competiu pela primeira e única vez.

De salientar que os dirigentes do futebol nacional falam constantemente sobre a aposta na formação de jogadores, mas os técnicos reclamam falta de condições para os treinos, salários e outras questões lastimáveis.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.