A direcção do Interclube não vai fazer cortes nos salários dos atletas e técnicos, apesar de os campeonatos estarem parados há cerca de dois meses por força da COVID-19, que já causou duas mortes em Angola e milhares no mundo.

A garantia foi dada publicamente pelo presidente de direcção do clube, Fernando Alves Simões, que assegura: “Em relação aos salários e contratações dos atletas, nós temos de cumprir com a lei e com aquilo que é o despacho presidencial. Num momento destes, os salários são extremamente importantes para os atletas”, assegurou.

 O dirigente reconhece que há dificuldades, mas a direcção do clube vai procurar honrar com os pagamentos dos salários a cem por cento, reforçando que nesta altura todo o cuidado se deve ter em conta para não ferir sensibilidades.

Com esta informação, tudo indica que os atletas e técnicos do Interclube respiram de alívio, uma vez que a maioria dos clubes no mundo fizeram cortes nos salários e contratos devido à longa paragem dos campeonatos, por força da referida pandemia.

Quanto aos treinos, os atletas daquele clube realizam em casa de forma individual, mas com as orientações dos técnicos, médicos e psicólogos, através de aplicativos de internet.

Actualmente, o Interclube ocupa o sexto lugar do Girabola Zap, com 34, de acordo com o calendário da prova.

De referir que a equipa compete há décadas no campeonato e soma apenas dois títulos, conquistados em 2007 e 2010. Desde aquele último ano não vence títulos na prova, mas continua a persistir em todas as épocas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.