Com esta missão por concretizar, a equipa mais titulada da prova, com cinco troféus, trabalha firme e em todos os sectores para derrubar os adversários a partir da primeira fase.

De acordo com o técnico principal do Interclube, Apolínário Paquete, em entrevista ao SAPO, a sua equipa conhece alguns dos adversários que vão competir na 25.ª edição da prova.

“Os outros adversários não conhecemos. Estamos a tentar reunir toda informação possível sobre os mesmos e continuar com aquilo que temos feito no dia-a-dia”, explicou o angolano.

Paquete fez saber também que o Interclube trabalha sempre com a perspectiva de ter uma boa postura em campo e discutir o título em todas as provas que estiver envolvido.

“É nesta perspectiva que estamos a trabalhar e que temos direccionado as nossas baterias. Eu penso que o grupo que temos nos satisfaz”, concluiu o técnico com vasta experiência internacional.

Quanto à viagem, não fez comentários, mas sabe-se que acontece nos próximos dias. A delegação estará constituída com mais de 15 elementos e sai de Luanda de avião para a cidade do Cairo, palco que acolhe a prova pela primeira vez.

Recorde-se que na edição passada da Taça Africana dos Clubes Campeões, que decorreu em 2018, em Moçambique, o Interclube perdeu na final frente ao Ferroviário de Maputo por 56-59.

Entretanto, tudo indica que estes dois rivais e candidatos ao título da prova se poderão cruzar nas próximas semanas em terras egípcias.  

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.