Após a disputa neste domingo de mais um desafio entre estes dois contendores para a 11ª jornada do Campeonato Nacional de futebol da primeira divisão, Girabola2019/20 (Petro e 1.º de Agosto, 2-0), no Estádio 11 de Novembro, a situação remete à edição anterior em que o atleta sofreu um golo considerado “frango” na gíria do futebol.

O guarda-redes foi incapaz de defender um remate quase do meio campo de Dany Massunguna, aos 38 minutos, em desafio de acerto da 8ª jornada, disputado dia 9 de Fevereiro, neste mesmo Estádio, em Luanda, e nunca foi perdoado por isso.

De lá para cá, Gelson viu o seu lugar ocupado por Élber alegadamente por opções técnicas como foi justificado pelo técnico hispano-brasileiro Beto Bianchi, na altura líder da equipa, e agora pelo actual treinador, o espanhol António Cosano.

Antes mesmos de terminar àquela competição, o “eterno” suplente ainda foi colocado em campo, mas os adeptos também não o perdoaram manifestando-se com vaias.

A falha do jogar mais recuado da equipa possibilitou que o 1.º de Agosto se isolasse na tabela classificativa da prova que conquistou com 70 pontos. O Petro foi segundo com 64.

No catetão desde a temporada de 2014, o guarda-redes, que já representou a selecção nacional, conquistou a Taça de Angola em 2017, sendo o único título pelo clube com o qual tem contrato até esta época.

Formado no Moitense de Portugal, estreou-se no Girabola em 2011 no extinto Santos FC clube, onde evoluiu até 2013, tendo de seguida rumado para o Petro de Luanda.

Trata-se do 79º encontro entre as duas formações mais tituladas do Girabola com vantagem para o Petro (32 vitórias), contra 25 do 1.º de Agostos. O histórico regista 22 empates.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.