Em declarações à Angop por ocasião do jogo de quarta-feira diante da Gâmbia, para a primeira jornada do grupo D, de apuramento ao CAN2021, disse que o treinador Pedro Gonçalves convocou os atletas que têm despontado no país e na diáspora, o que dá garantias de uma prestação que corresponda com as expectativa dos angolanos.

Actualmente treinador adjunto do 1º de Agosto, Ivo Traça realçou que os seleccionados estão a viver bons momentos nas sua equipas, têm qualidade e dão segurança para esta empreitada.

Apesar de reconhecer que a selecção começou a preparar este desafio tardiamente, o antigo defesa diz que os jogadores são profissionais e já vêm dos seus clubes com ritmos de jogo, apenas vão trabalhar os automatismos e as estratégias que o treinador vai imputar.

Como jogador, Ivo Raimundo Traça começou no 1º de Agosto em 1980 e encerrou no mesmo clube em 1992, onde depois abraçou a carreira de treinador.

De 2012 a 2014 foi técnico principal do Desportivo da Huíla, tendo regressado aos “agostinos”, em 2015.

O jogo entre Angola e Gâmbia inicia às 20 horas, no estádio 11 de Novembro.

Trabalham às ordens do seleccionador Pedro Gonçalves os atletas Toni Cabaça, Landu, Nsesani, Diógenes, Nandinho, Isaac, Quinito, Wilson, Bastos, Tó Carneiro, Além, Herenilson, Ito, Yano, Mano Calesso, Geraldo, Liliano, Messias, Núrio Furtuna, Fredy, Show, Fábio Abreu, Mateus Galiano, Vá, Gelson e Wilson Eduardo.

Os Palancas Negras, actuais 31º posicionados  do ranking da CAF e 120º da FIFA, já marcaram presença por oito vezes nesta cimeira do futebol africano: África do Sul (1996), Burkina-Faso (1998), Egipto (2006), Ghana (2008), Angola (2010), Gabão/Guiné-Equatorial (2012), África do Sul (2013) e Egipto (2019).

Já os gambianos, 47º na CAF e 166º na FIFA, nunca estiveram numa fase final do CAN.

No outro jogo deste grupo, a RDC recepciona o Gabão, na quinta-feira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.