A Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) pode suspender Angola das competições internacionais, caso a Federação da modalidade no país (FAB) não liquide a dívida do ex-técnico da Selecção Nacional sénior masculina.

O norte americano William Brayant Voigt intentou uma acção no Tribunal Arbitral do Desporto contra a direcção da (FAB), por esta não pagar a dívida de cerca de 500 mil dólares.

De acordo com o coordenador da comissão de gestão daquela instituição que rege a modalidade no país, Gustavo da Conceição, a convocatória proveniente do referido tribunal veio em nome do presidente demissionário.

Mesmo assim, disse: “Vamos ver como se resolve este problema lá no Tribunal Arbitral. Sei que o basquetebol do nosso país vai ter de responder nos próximos dias”, reforçou o antigo deputado da Assembleia Nacional.

Gustavo explicou também que a FAB tem um dossier em que constam datas limites para responder ao tribunal, bem como liquidar a dívida de Voigt e para videoconferências, tendo em conta o COVID-19.

Porém, concluiu que a Comissão de Gestão ainda não contactou o referido técnico para tentarem pelo menos encontrar possíveis soluções que possam ultrapassar o problema em causa.

De salientar que a referida verba é superior ao orçamento anual daquela instituição que rege o basquetebol no país.

Com aquela dívida e outras da FAB, a Selecção Nacional poderá estar condicionada a participar no Torneio Pré-olímpico, qualificativo para os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para Julho a Agosto de 2021.

Além daquela maior montra desportiva do mundo, as selecções sub-18 masculina e feminina têm pela frente os campeonatos africanos da categoria.

Quanto às eleições dos novos corpos gerentes da FAB, acontecem em data a anunciar, uma vez que o Ministério da Juventude e Desportos ainda não se pronunciou a respeito.

Sendo assim, a comissão de gestão daquela instituição que rege o basquetebol no país vai continuar no comando.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.