Nesta corrida internacional, aquele organismo que rege a modalidade no país quer superar o número de velocistas da edição passada, 2800. Além disso, perspectiva também inovar e melhorar em todos os aspectos de modo a atrair os velocistas e incentivar mais a prática do atletismo.

De acordo com o presidente de direcção da FAA, Bernardo João, com base na estratégia de trabalho do seu elenco federativo poderá bater-se o record de participação na São Silvestre deste ano.

“Estamos a trabalhar neste sentido. Nós queremos que toda gente esteja na corrida. A corrida de São Silvestre é uma prova competitiva e também participativa”, frisou.

Quanto às próximas eleições referentes ao quadriénio 2020/2024, o dirigente não revelou sobre a possível recandidatura mas espelhou que o objectivo do seu elenco era de dirigir a federação pelo menos em dois mandatos.

“Quando nós entramos nesta direcção, o objectivo era este, porque percebemos que o primeiro mandato é para organizar a casa e o segundo para trabalhar. Nós viemos para melhorar o nosso atletismo”, atirou.

Porém, o responsável da FAA esclareceu que se não for possível a continuidade do seu elenco, os ganhos e projectos em carteira serão entregues à futura direcção da instituição.

Contudo, Bernardo João acredita que a família do atletismo poderá crescer mais nos próximos anos, embora reconheça que o actual momento económico e financeiro do país é crítico.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.