O ex-responsável federativo afirmou que o facto aconteceu na última terça-feira e dois dias depois foi chamado para os respectivos acertos, sem, no entanto, avançar os motivos da quebra do vínculo contratual até então indeterminado.

Paulo Ribeiro coordenou os "Palancas Negras" nos campeonatos africanos das nações de 2010 (Angola), 2012 (Guiné Equatorial), 2013 (África do Sul), 2019 (Egipto) e nos CHAN de 2011 (Sudão), 2016 (Rwanda) e 2019 (Marrocos).

Trata-se da terceira rescisão contratual entre membros e a direcção da federação no mandato do presidente Artur Almeida e Silva.

Após a eleição do actual elenco, em 2017, o então vice-presidente para a formação Norberto de Castro demitiu-se, alegadamente, por questões de relacionamento com o titular.

Recentemente foi a vez do seleccionador nacional abandonar o "leme", também por alegado desentendimento e falta de pagamentos de acordo com as cláusulas contratuais.

O sérvio Srdjan Vasiljevic foi contratado em Dezembro de 2017 e em Julho último não foi além da primeira fase com a selecção nacional no CAN2019, decorrido no Egipto.

A Angop tentou contactar o presidente e vice-presidente da FAF, designadamente, Artur de Almeida e Adão Costa, mas sem sucesso.

Esta situação ocorre numa altura em que Angola prepara o duplo compromisso com a Gâmbia a contar para as preliminares de acesso à fase de grupos qualificativa ao Mundial de 2022, no Qatar.

A primeira mão acontece no dia seis de Setembro próximo, em Banjul, e a segunda, quatro dias depois (10), em Luanda, no estádio 11 de Novembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.