Em análise a visita de 24 horas do presidente da Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA), Gianni Infantino, que disponibilizou seis milhões de dólares americanos, em quatro anos, para projectos de desenvolvimento, o dirigente referiu à Angop, estarem lançadas as bases e pressupostos fundamentais ao cumprimento dos propósitos da FAF.

“Depois da presença da ilustre figura ao nosso país e auditoria das contas da FAF, feita por uma instituição neutra, que permitiu a retirada do país da lista negra, o futebol angolano passa a ter mais apoios e incentivos por parte da FIFA. A componente financeira vai propiciar uma forte aposta nas infra-estruturas, futebol jovem e feminino, que há muito esteve suspenso. Por isso, podemos concluir que a visita de Gianni Infantino foi uma grande mais-valia para Angola”, frisou.

A cedência do campo de São Paulo, por parte do Governo Provincial de Luanda, para a criação do futuro centro de treinamento das selecções nacionais jovens, com o suporte financeiro da FIFA, bem como as possibilidades de implementação de outros projectos de massificação do futebol, também foram apontados como ganhos da visita.

Quanto ao visitante, Infantino, que esteve quinta-feira em Luanda, foi recebido pelo Presidente da República, João Lourenço, no final da qual anunciou à imprensa um apoio de seis milhões de dólares americanos para projectos ligados a construção de infra-estruturas e de apoio ao futebol feminino, nos próximos quatro anos.

No encontro, o presidente do órgão reitor do futebol no mundo ofereceu lembranças ao Chefe de Estado Angolano.

Sobre a auditoria às contas da FAF, encomendada pela FIFA à empresa PWC em 2017, disse sentir-se satisfeito com o resultado do trabalho, sem entrar em detalhes.

Integram a delegação da FIFA, entre outros, a Secretária-geral, Fatma Diouf Samoura (Senegal), o presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), Ahmed Ahmed (Madagáscar), além do ex-internacional camaronês Samuel Eto'o.

Ainda na capital do país, Gianni Infantino, também reuniu-se com o governador da província de Luanda, Luther Rescova, com membros da FAF e visitou o campo de São Paulo, no distrito Urbano do Rangel.

Nascido em Briga, na Suíça, a 23 de Março de 1970, Gianni Vincenzo Infantino dirige a FIFA desde 26 de Fevereiro de 2016, além de ter sido secretário-geral da União Europeia de Futebol (UEFA), de 2009 a 2016.

É o segundo presidente da Federação Internacional de Futebol Associado a visitar Angola, depois de Joseph Blater em Janeiro de 2010, por ocasião do CAN.

Antes de Angola, Infantino trabalhou na Gâmbia, no Senegal, na Guiné Conacry, no Congo Kinshasa e em Moçambique, no quadro de um périplo que efectua pelo continente, para auscultação e apoio aos filiados.

Terminada a visita em Angola, o responsável máximo do órgão reitor do futebol no Mundo segue para o Congo Brazzaville, com a mesma finalidade.

A FIFA é uma organização sem fins lucrativos, fundada em Paris (França) a 21 de Maio de 1904. Dirige as associações nacionais de futebol de 211 países, incluindo Angola, e tem a sua sede na cidade suíça de Zurique.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.