Por falta de estágio pré-competitivo e pelo facto de as Pérolas Africanas terem chegado ontem ao palco do Mundial de Andebol, a FAAND reduz o nível de exigência ao combinado.

A informação foi confirmada pelo presidente de direcção da referida Federação, Pedro Godinho: “Do ponto de vista desportivo, eu sou o primeiro a sentir que isto reduz o nível de exigência da direcção da Federação perante a equipa técnica, em função de não conseguirmos estar uma semana antes. Temos de ser realistas!”

Mesmo assim, o dirigente explicou que apesar de tudo, do ponto de vista psicológico, as atletas vão competir com alguma tranquilidade. “Tenho esta garantia do treinador e das atletas”, sublinhou.

Sabe-se que em terras japonesas, o combinado nacional tinha como meta manter ou melhorar o 19.º lugar conseguido na prova passada.

Recorde-se que as Pérolas estão inseridas no Grupo A do Mundial, com as similares da Eslovénia, Cuba, Holanda, Noruega e Sérvia. Esta última é a adversária da estreia de hoje.

Com aqueles adversários com mais tempo de preparação para a prova, o técnico das Pérolas, Morten Souback, esclareceu: “O que nós podemos prometer para o povo angolano é que as meninas vão fazer os possíveis e tentarem implementar tudo que temos treinado para passarmos de fase.”

O dinamarquês fez saber ainda que o Mundial vai servir também como preparação do combinado para os Jogos Olímpicos de 2020, que acontecem em Tóquio, capital daquele mesmo país asiático.

Tendo em conta a participação do combinado naquela última prova, Souback concluiu: “Ganhar ou perder, todos os jogos do campeonato vão servir como uma certa preparação, porque daqui a sete meses vamos ter as olimpíadas."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.