De acordo com um comunicado enviado ao SAPO, o IFA, que premeia festivais lusófonos e ibéricos, e considera os festivais de todos os países falantes de português e espanhol, tem actualmente 25 categorias, desde melhores festivais de música, activação de marca, promoção turística, programa cultural, entre outras, onde destacamos a de Melhor Festival Lusófono e Hispânico em que o festival angolano SSW está nomeado e é o único evento angolano na corrida aos prémios.

Os vencedores serão anunciados numa gala dia 14 de Março, no grande auditório FIL, em Lisboa. O Festival angolano já recebeu este ano, pelos “Africa Tourism Awards”, o prémio na categoria Inovação, e agora é chamado a pisar a Europa.

“O SSW tem a organização do Social Team Angola e principal apoio da Sagres Angola. A organização sente-se honrada com a nomeação e declara que sem a boa onda de todos os festivaleiros e parceiros que vêm dando vida há mais de 5 anos a este projecto nada seria possível”, lê-se ainda no documento.

Por ser reconhecido como como agente importante na promoção de Cabo Ledo para crescimento da economia e turismo local, o SSW tornou-se um evento de marca registada do Polo de Desenvolvimento Turístico de Cabo Ledo em 2018 e conta com o apoio institucional do Ministério do Turismo e Instituto Nacional da Biodiversidade para cada vez mais promover o turismo nacional e passar a mensagem da importância da sustentabilidade ecológica.

De referir que o SSW nasceu em 2013 como o primeiro campeonato de surf em Angola. O objectivo sempre foi dar destaque ao Surf como desporto e contribuinte para o enorme potencial turístico na região de Cabo Ledo. O mesmo proporciona experiências musicais, de convívio, bem-estar e responsabilidade ecológica. Hoje em dia o festival recebe mais de 4000 festivaleiros vindos de vários cantos do país, com destaque para as províncias de Benguela, Huila, Namibe e Huambo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.