Terceiro atleta mais utilizado na sua equipa (26 minutos e 04 segundos), Antwan demonstrou ser um reforço à altura, carregando o conjunto às ordens de Lazare Adingono nos momentos cruciais de uma partida bastante equilibrada, em que os petrolíferos correram atrás do resultado boa parte do tempo.

Com dribles rápidos, passes e lançamentos certeiros, o base teve boa combinação com os colegas e criou vários problemas aos seus oponentes, sobretudo no último período, altura em que a equipa alcançou uma vantagem de oito pontos (84-76), que bem gerida resultou no sexto triunfo no campeonato, em sete jornadas.

Suas jogadas faziam vibrar os adeptos tricolores, em maioria, o que tem sido hábito na Cidadela, sendo que das assistências resultavam triplos de Cipriano, Morais, Quimbamba e Leonel.

O Petro saiu em desvantagem no primeiro (18-22) e terceiro períodos (26-30), tendo superado o adversário no segundo (20-14) e quarto (28-22) quartos do “desafio”, cujo placar registou seis empates.

Ambas as formações fizeram do jogo exterior a “arma” para o sucesso e a formação do “eixo-viário” suplantou os “rubro-negro” com nove lançamentos convertidos em 32 tentativas, contra oito dos “militares” em 33 tentados.

O base norte-americano teve auxílio de Leonel Paulo (16 pontos), autor de um smash, Olímpio Cipriano (12), Carlos Morais (10), Valdelício Joaquim, Aboubacar Gakou e Benvindo Quimbamba com nove pontos cada.

Do lado contrário, realce para Islando Manuel, melhor cestinha da prova com 24 pontos, no entanto insuficientes para evitar o desaire, Armando Costa (13 pts) e Pedro Bastos (10).

Petro e 1º de Agosto terminam a primeira volta com 13 pontos, os mesmos que o Interclube, nos lugares cimeiros da classificação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.