Nesta prova da classe T11 (cegueira total), Angola tinha como principal objectivo estar entre as oitos melhores do mundo e Emeloide Adelino fez por merecer com o tempo de 26 segundos e 96 centésimos, mas foi desqualificada alegadamente por infração por parte do atleta guia (não coordenou o movimento do braço na cadência da atleta).

Emeloide viu assim a segunda posição da primeira série, que dava qualificação, atribuída à namibiana Ishitile Lahja, que, no entanto, levou mais tempo para cortar a meta (26.99), numa prova ganha pela chinesa Liu Cuiqing (26.04).

Já na segunda série, Regina Dumbo foi infeliz ao cair poucos metros antes da meta quando disputava a segunda posição com Alamur Onznur, da Turquia (2ª classificada com 27.77) e Lebog Judith, dos Camarões (3/ª 30.01), em prova ganha pela qualificada à outra fase Geber Santos, do Brasil (26.58).

Já Juliana Moko ocupou a quarta e última posição da terceira série com o tempo de 29.91. Qualificaram-se três das oito que hoje disputam as meias-finais a partir das 8 horas, nomeadamente, Simplício Silva, do Brasil (25.59), Peres Lopes, da Venezuela (26.68) e Tanomwong Suneei, da Tailândia (27.32).

A quarta série qualificou duas atletas à outra etapa sendo Salvatini Spolad, do Brasil (25.29) e Clegg Libby, da Inglaterra (26.69). Concorreram ainda Samigulina Alina, da Rússia (28.01) e Bel Quintana, da Espanha (desqualificada).

Assim, Angola encerrou a sua presença neste evento que termina quinta-feira em que também integraram a selecção nacional José Chamoleia (classe T11) e Manuel Jaime (deficiente motor).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.