O antigo director nacional para as políticas desportivas do Ministério da Juventude e Desportos afirmou que os problemas da modalidade estão identificados, sendo também preciso ajustar os modelos de gestão às exigências e complexidade do futebol nacional.

No acto, realizado no anfiteatro Paulo Bunze, na sede da Federação Angolana de Andebol, Tony Estraga reiterou tratar-se apenas da oficialização da sua intenção de candidatura aos órgãos sociais da federação para o quadriénio 2020/24.

Acrescentou que o seu programa de acção será divulgado nos próximos dias, tal como os integrantes da sua lista.

Referiu que, além das motivações pessoais, a decisão de concorrer responde algumas pessoas que vêem nele perfil para suceder Artur Almeida e Silva na direcção da instituição.

Várias figuras do futebol nacional estiveram presentes na actividade, destacando-se o General Francisco Pereira Furtado, antigo presidente do Desportivo da Huíla, o técnico Zeca Amaral, o ex - jogador da selecção, Zacarias, e o especialista em treinamento desportivo, Cirilo da Cruz.

Licenciado em Educação Física, o antigo futebolísta e gestor desportivo foi director do gabinete de apoio às Associações Provinciais, ocupou o cargo de director do Departamento Técnico das selecções nacionais.

Tony Estraga jogou pelo 1º de Agosto, Inter da Huíla. No percurso da carreira teve passagens por equipas portuguesas e da Indonésia.

Já desempenhou o posto de secretário-geral-adjunto da federação e de presidente da Comissão Técnica para o Desenvolvimento Desportivo do Conselho dos Desportos da União Africana, da região -5.

Na corrida ao posto de direcção da federação, além do presidente cessante, Artur Almeida e Silva, estão igualmente Norberto de Castro e Dino Paulo, ambos dirigentes desportivos e antigos praticantes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.