A pré-selecção nacional de basquetebol vai intensificar a preparação nos próximos dias para competir na 18.ª edição do Mundial que decorre de 31 deste mês a 15 de Setembro próximo, na China.

Nesta altura, o combinado trabalha incompleto no pavilhão principal da Cidadela Desportiva, em Luanda, devido a problemas pessoais de alguns atletas, com realce para Eduardo Mingas.

Este atleta, mais velho entre os convocados e MVP da Afro-Liga, perdeu o pai recentemente e ainda encontra-se na sua terra natal, em Saurimo, província da Lunda Sul.

De recordar que naquela maior montra da bola ao cesto, os angolanos vão defrontar na primeira fase as similares da Itália, Filipinas e Sérvia, adversária de estreia no mesmo dia em que começa a prova.

Mesmo com os adversários potentes, o técnico da selecção nacional, Willian Voigt, não se mostra intimidado e acredita no potencial dos seus convocados, apesar do pouco tempo de preparação.

“Estamos a trabalhar e acreditamos que podemos fazer uma boa participação na competição. Temos que melhorar em muitos aspectos para termos uma selecção mais forte e capaz de concretizar o objectivo”, sublinhou.

Contudo, o norte-americano espera contrariar o favoritismo daqueles ‘gigantes’ do basquetebol mundial.

É também de conhecimento que ainda não foram resolvidos os pendentes dos atletas que competiram pela selecção no Afrobasket 2017 e na campanha para o referido Mundial.

Relativamente a este assunto que já esteve recentemente em cima da mesa na Federação Angolana de Basquetebol (FAB), a direcção deste organismo pede calma e paciência aos atletas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.