Formada pela academia do 1º de Agosto, a “goal keeper” já foi campeã africana em júnior e sénior e campeã mundial de sénior pelo seu clube, portanto, o seu desempenho, no jogo da 3ª jornada do Campeonato do Mundo de Andebol sénior feminino do Japão, resulta de um percurso mais ou menos longo.

Hoje, primeira vez que mereceu a confiança do técnico dinamarquês Morten Soubak em substituição da titularíssima Teresa de Almeida “Bá”, Helena defendeu muito mais do que era espectável e catapultou Angola para um triunfo de “sonho” diante de uma das favoritas ao ceptro.

Num jogo equilibrado, fundamentalmente na etapa inicial, a jogadora angolana destacou-se com sucessivas defesas em jogadas de contra-ataque e em remates de curta e meia distância em momentos cruciais da partida.

Com 1,93 m e 93 Kg, usou muitas vezes a sua compleição física para se impor entre os quatro postes, do mesmo modo que municiava os ataques rápidos do combinado nacional. Aos 37 minutos, quando Angola vencia por 21-17, anulou uma jogada contrária e lançou a bola para as mãos de Wuta Dombaxi, que ampliou o resultado.

A jogada fez lembrar a ex-internacional Odethe Tavares, que foi exímia neste tipo de jogada, rara nos dias de hoje no andebol nacional.

Angola volta a evoluir às 12h30 de quinta-feira contra a Noruega, para a quarta jornada, esperando-se que Helena Sousa seja, outra vez, titular e que faça, novamente, um jogo "soberbo".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.