Nesta altura aguarda-se o pronunciamento por parte do Ministério da Juventude e Desportos (MINJUD) para cessar os conflitos de ideias que surgem nos últimos dias.

Entretanto, o candidato ao pleito eleitoral da Federação Angolana de Futebol (FAF), António Gomes, mais conhecido como Tony Estraga, defendeu que a cerca sanitária de Luanda não deve ser motivo para se pensar em adiar os pleitos eleitorais das federações.

“Na reunião entre o COA e as federações foram discutidos problemas e não soluções,” atirou o ex- director nacional para a política desportiva do MINJUD.

Tony Estraga reconhece a importância de os candidatos fazerem campanhas eleitorais nas províncias. Além disso, sabe que existe um organismo em Luanda que trabalha para as situações de saídas de pessoas em serviço.

“Eu acredito que os membros das federações estariam também neste pacote e podiam viajar pelo país. O uso das novas tecnologias podia ser também uma das soluções”, sublinhou o candidato.

Por sua vez, o vice-presidente da Associação Provincial de Andebol de Benguela, Luís António, considerou um comportamento incorreto por parte do COA e das federações que participaram no referido encontro.

“Eu acho que o COA e as federações querem fugir às responsabilidades. A Lei é clara e não podemos estar a buscar coisas incorretas. Isto não é justo. As pessoas estão a pôr em causa a Covid-19, mas confesso-vos que não vai acabar hoje nem em Dezembro. Nós temos que saber conviver com o vírus. Os argumentos tecnológicos existem”, aconselhou.

Já o presidente da Associação Provincial de Futebol do Huambo, Alcides Domingos, contribuiu que nesta altura não faz sentido propor o adiamento dos pleitos eleitorais das federações para o próximo ano.

“Imagine que, se não tivermos condições para fazer uma campanha eleitoral, muito menos teremos para competir. Acreditamos que o número de pessoas envolvidas na campanha é menor do que da competição”, concluiu.

Recorde-se que o MINJUD chegou a orientar as federações para realizarem os seus pleitos eleitorais até ao final de Setembro.

O SAPO sabe também que enquanto vigorar a cerca sanitária na capital do país, as federações que constituem lista única poderão as suas Assembleias Gerais Ordinárias e os pleitos eleitorais sem grandes sobressaltos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.