Falando no programa “Angola Fala Só” o deputado independente pela CASA-CE, conhecido pela sua irreverência e frontalidade,  fez notar que  o general Zé Maria “era o homem de confiança” do ex Presidente Eduardo dos Santos e que o actual chefe dos serviços de inteligência, o General Miala, foi preso durante essa presidência.

“Hoje as coisas viraram e é o Miala que manda e ele nem foi chamado nem ouvido”, disse o deputado.

“Isto cheira a vingança”, acrescentou.

Makuta Nkondo disse também que a suspensão do parlamento e do MPLA de Tchizé dos Santos, filha de Eduardo dos Santos, é também “perseguição politica por parte de João Lourenço”.

“Ela está a fugir porque (ela e os irmãos) são perseguidos”, disse Makuta Nkondo  para quem “não se ganha nada com isto”.

Par ao deputado o alvo é o antigo presidente Eduardo dos Santos

“Quem bate no filho bate no pai”, disse.

Interrogado por um ouvinte sobre a eleição de Adalberto Costa Júnior para presidente da UNITA, Makuta Nkondo disse que “racismo à parte a UNITA é um partido rural, um partido bantu”.

“A UNITA não está á altura de ter um luso tropicalista à sua frente”, disse o deputado que frisou que muita da base de apoio da UNITA vive nas zonas rurais.

“O Adalberto Costa Júnior não pertence a nenhuma tribo, a nenhuma etnia e não fala uma língua bantu”, disse

“Parece que a UNITA está a querer pintar-se de branco”, acrescentou o deputado para quem a eleição de Adalberto Costa Júnior está também relacionada com “matanças” que ocorreram durante a guerra dentro da UNITA.

Durante o programa o deputado independente manifestou dúvidas que Adalberto Costa Júnior seja capaz de fazer frente em eleições a João Lourenço, descrevendo o novo líder da UNITA como alguém fala muito, “cheio de blá blá blá”.

Makuta Nkondo disse que a única pessoa capaz de fazer frente a João Lourenço é o antigo dirigente da CASA CE, Abel Chivukuvuku devido ao seu “carisma, capacidade intelectual” e ainda pelo facto de ser um poliglota.

Essa, disse, é a razão porque Abel Chivukuvuku tem dificuldades em avançar com o seu partido.

“Estão lhe sempre a dar voltas e contra voltas”, disse.

O deputado revelou que foi Chivukuvuku que o convidou por várias vezes a fazer parte do parlamento como deputado independente pela CASA CE

Makuta Nkondo criticou asperamente o Orçamento Geral do Estado aprovado na generalidade pelo parlamento afirmando que “não contém nada que resolva os problemas do povo”.

O deputado disse que planos de orçamentos são aprovados mas nunca executados, dando como exemplo o programa “Água para Todos”. Todos os anos, disse, são aprovadas verbas para esse programa e muitos continuam sem água.

No Kwanza Norte, disse, em cidades ao lado do Rio Kwanza há populações sem água.

Interrogado sobre o papel do Conselho da República, Makuta Nkondo disse que o Presidente “é mal aconselhado” e isso é agravado porque “o presidente não escuta ninguém”.

“Os membros do Conselho da Republica estão lá só para ouvir, os conselheiros não têm poder nenhum”, disse.

Para o deputado independente pela CASA CE “o combate á corrupção está mal”.

“Os marimbondos são todos eles”, disse o deputado que disse que todos continuam a desconhecer “qual é a fortuna” do presidente e “como foi adquirida”.

Para Makuta Nkondo governo e o MPLA são “um barco velho enferrujado”.

“Só mudou o comandante, toda a tripulação é a mesma”, acrescentou o deputado que foi membro da FNLA durante a luta pela libertação.

Quando lhe perguntaram sobre as actuais divisões dentro desse partido., o deputado disse que o partido sobre da “doença dos Bakongos”.

“Os Bakongos estão obcecados pelo dinheiro e o poder para eles é dinheiro”, disse afirmando a outro passo do programa não ser sua intensão juntar-se a qualquer partido.

Makuta Nkondo disse ainda não ter decidido se nas próximas eleições irá mais uma vez ser um independente pela CASA CE.

“Vai depender da seriedade da CASA CE”, disse indicando que embora tenha “pressões” para se candidatar à presidência está limitado pela constituição que não permite candidaturas independentes pois os candidatos á presidência são os cabeça de lista dos partidos.

Makuta Nkondo revelou que “antes de Raúl Danda fui abordado para ser vice presidente da UNITA”.

“Recusei”, disse afirmando que dentro da UNITA “há mais bajuladores do que no MPLA”.

O deputado defendeu a decisão do jornalista e activista Rafael Marques aceitar uma condecoração do presidente João Lourenço.

“Ninguém recusa o bem”, afirmou

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.