Nesta altura, os rivais preparam-se com o mesmo objectivo de vencer este primeiro encontro da época 2018/19, na qual são os principais candidatos ao título.

Neste principal dérbi do país, não há favorito, apesar de a equipa agostina ser tricampeã nacional e liderar a prova com 30 pontos, menos três em relação ao rival, que ocupa o terceiro lugar.

Entretanto, o técnico-adjunto do 1.º de Agosto, Ivo Traça, disse que a equipa trabalha seriamente  para afastar os empates, de modo a não se atrasar na luta pelo quarto título seguido. “Empates e derrotas não nos interessam, só mesmo vitórias. A equipa está motivada e confiante, não queremos ter outra crise de empates conforme tivemos na época passada”, realçou o angolano, ex-jogador do clube.

Por sua vez, o técnico hispano-brasileiro do Petro, Beto Bianchi, fez saber que os 29 jogadores do plantel são importantes para qualquer jogo do campeonato. Porém, reforçou: “Os  jogadores são analisados diariamente. Nós pedimos coisas que eles têm de cumprir. Vem aí uma equipa bastante forte e difícil de jogar contra ela. Mas, temos de pensar em nós e lutarmos por uma vitória.”

Recorde-se que este maior dérbi angolano estava agendado para o dia 23 de Dezembro de 2018, mas não foi possível por causa do envolvimento dos petrolíferos na Taça Nelson Mandela.

Esta única equipa angolana nesta competição africana ainda tem dois jogos em atraso, ao passo que o tricampeão nacional já não tem nenhum, de acordo com o calendário do Girabola Zap.

De salientar que em quatro dérbis disputados nas últimas duas épocas, a equipa agostina venceu dois e empatou em igual número.

Em termos de títulos, os petrolíferos lideram o campeonato com 15, seguidos pelo adversário, com 12, entre os quais conquistou três seguidos nas últimas épocas.

Saiba também que em 76 encontros no campeonato, os petrolíferos somaram 31 vitórias, contra 24 dos agostinos e empataram em 21 ocasiões.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.