O principal partido da oposição angolana inicia esta quarta-feira o XIII congresso ordinário onde vai ser eleito o novo líder, o terceiro, depois do fundador Jonas Savimbi e do actual presidente, Isaías Samakuva, que sai ao fim de 16 anos à frente da UNITA.

Na corrida à liderança da UNITA estão o actual presidente do grupo parlamentar do partido, Adalberto da Costa Júnior, o vice-presidente, Raul Danda, o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala, o deputado José Pedro Katchiungo e o general Abílio Kamalata Numa.

Os 1.150 delegados reunidos vão escolher entre estes cinco candidatos à sucessão de Isaías Samakuva o que consideram ser o mais adequado a liderar a União Nacional para a Independência Total de Angola, fundada por Savimbi em 1966.

A UNITA anunciou que incluiu na agenda de trabalho do congresso os limites dos mandatos e de candidaturas do partido, que arrancou esta quarta-feira em Luanda.

Para esta quarta-feira está previsto um debate interno entre os cinco candidatos à liderança do partido, com presença dos delegados, no qual cada candidato poderá partilhar argumentos e apresentar programas políticos.

“Este debate tem uma particularidade, é à porta fechada. Ninguém que não seja candidato ou delegado pode estar presente. É um debate em que tudo é permitido. Digamos, que se houver razões para se fazer uma lavagem de roupa suja, neste debate pode-se fazer”, descreveu o porta-voz do Congresso, Ruben Sicato.

Na eleição para presidente da UNITA, sairá vencedor o candidato que atingir 50% dos votos mais um voto, não estando de parte a hipótese de se realizar uma segunda volta em caso de empate.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.