Em comunicado de imprensa, o Governo Sombra do maior partido da oposição em Angola estendeu o seu apreço às forças de defesa e segurança, que têm dado tudo de si.

De acordo com o comunicado, as forças de segurança enfrentam “teimosias e incompreensões”, na missão de fazerem com que as regras do Estado de Emergência se cumpram e para que não bata à porta aos angolanos.

O Governo Sombra da UNITA enaltece, ainda, a atitude dos músicos que, do seu confinamento, realizam acções de angariação de fundos para as famílias angolanas mais carenciadas, nesta fase da luta contra a covid-19.

Para o maior partido da oposição em Angola, a acção destes artistas tem sido “de grande eficácia”.

Salienta que, volvidos dois meses desde que foi decretado o Estado de Emergência, em Angola, constata-se que muitas famílias enfrentam sérias dificuldades.

“A situação é muito difícil, mas o Executivo não pode nem se deve demitir das suas responsabilidades”, lê-se no documento.

A UNITA é de opinião que o Executivo deveria construir hospitais de campanha e criar alas nos hospitais existentes para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus.

Sustenta que, num momento em que o país vive o Estado de Emergência, que vai na sua terceira prorrogação quinzenal, o saneamento básico e a higienização deveriam ser condições supríveis, para tornarem eficazes as medidas de combate, não só à covid-19, mas, também, a malária, tuberculose, cólera e outras doenças tropicais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.