Dirigindo-se ao Comité de Supervisão e Reforma da Câmara, sob dependência do Congresso dos Estados Unidos, Cohen, que foi condenado à prisão por crimes relacionados, em parte, pelo seu trabalho com Trump, expressou arrependimento pela sua lealdade, no passado, para com presidente.

"Estou envergonhado por ter escolhido participar nos atos ilícitos de Trump, ao invés de ouvir a minha própria consciência", afirmou Cohen.

"Ele é um racista. Ele é um vigarista. Ele é um trapaceiro", enfatizou.

Cohen disse ainda que apresentaria provas "irrefutáveis" dos erros de Trump, incluindo um cheque de "suborno" pago a duas mulheres, com quem teria tido relações íntimas enquanto era casado, pouco antes da eleição de 2016.

O antigo advogado do presidente dos EUA também disse que Trump dirigiu as negociações para construir uma Trump Tower em Moscovo, na Rússia, ainda durante a campanha eleitoral de 2016, apesar de negar qualquer vínculo comercial com os russos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.