As autoridades angolanas estão preocupadas com o crescente tráfico de seres humanos no país, que envolve principalmente, mulheres e crianças.

Segundo o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos, a sua base de dados contabiliza mais de 70 casos de tráfico de seres humanos entre os quais 15 já foram julgados pelos Tribunais que resultaram em condenações dos implicados.

As províncias de Luanda, Zaire e Cunene são as que registam mais casos de tráfico de seres humanos.

Angola regista redes de tráfico de seres humanos internas entre províncias externas que envolvem crianças e mulheres.

Portugal, Brasil e os países asiáticos são as origens das mulheres envolvidasna crescente indústria do sexo em Angola com a participaçao de cidadãos angolanos e estrangeiros.

para combater o fenómeno, o Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos desenvolve um plano de sensibilização junto da população, encorajando as denúncias dos traficantes.

De Luanda, o nosso correspondente, Avelino Miguel.

Entretanto, a secretária de Estado angolana para os Direitos humanos, Ana Celeste Januário, confirmou à imprensa, que “as principais vítimas são maioritariamente mulheres e crianças e as províncias com maior incidência é Luanda, Cunene e Zaire.”


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.