A taxa mundial de desemprego jovem atingiu em 2009 o nível mais alto da história - 13%, correspondentes a 81 milhões de pessoas - e deverá ainda aumentar este ano, revela um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

A divulgar hoje no âmbito do lançamento do Ano Internacional da Juventude das Nações Unidas, o trabalho refere que, no final de 2009, 81 dos 620 milhões de jovens economicamente activos entre os 15 e os 24 anos estavam desempregados.

Face a 2007 houve um aumento de 7,8 milhões de jovens desempregados (1,1 milhões em 2007/2008 e 6,7 milhões em 2008/2009 ), com a taxa de desemprego neste segmento a subir de 11,9 para 13% entre 2007 e 2009. Comparativamente, nos dez anos que antecederam a crise económica (de 1996/97 a 200/07) o ritmo de crescimento anual dos jovens desempregados ficou-se em cerca de 191.000.

 Em termos percentuais o aumento de um ponto percentual registado entre 2008 e 2009 na taxa de desemprego jovem representa a maior variação anual dos últimos 20 anos e reverteu a tendência anterior à crise, que apontava para uma diminuição das taxas de desemprego jovem desde 2002. Segundo as principais conclusões do estudo, entre 2008 e 2009 o número de jovens desempregados aumentou 9%, o que compara com um aumento de 14,6% no número de adultos desempregados, mas em termos de taxa de desemprego o impacto sobre os jovens foi maior, subindo um ponto percentual contra 0,5 pontos nos adultos durante 2008/09.

De acordo com a OIT, em 2008 os jovens representavam 24% dos trabalhadores pobres no mundo e 18,1% do total de desempregados a nível mundial. Do trabalho resulta ainda que as mulheres jovens têm maiores dificuldades que os homens em encontrar emprego: em 2009 a taxa de desemprego juvenil feminina foi de 13,2%, contra 12,9% nos homens.

As projecções da OIT apontam para uma recuperação do emprego mais lenta para os jovens do que para os adultos, antecipando-se um aumento contínuo do desemprego juvenil mundial este ano até ao nível histórico de 81,2 milhões e uma taxa de 13,1%. Só durante o ano que vem o número de jovens desempregados deverá cair para 78,5 milhões e uma taxa de 12,7%.

Já a taxa de desemprego entre os adultos terá já alcançado o seu nível máximo em 2009 (4,9%), devendo recuar 0,1 pontos percentuais quer em 2010 quer em 2011. Intitulado "Tendências Mundiais do Emprego Jovem 2010", o relatório da OIT apresenta as tendências do emprego de jovens entre os 15 e os 24 anos a nível mundial e regional, com especial enfoque para o impacto da crise económica sobre este grupo.

Oje/ Lusa

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.