O anúncio foi feito na Huíla pelo secretário regional do Sindicato Nacional do Ensino Superior, (SINPES), Francisco Cruz, depois do Governo assumir pagar os subsídios em atraso a partir de Março e até Julho próximo.

O período extenso de pagamento dos atrasados deve-se ao fato de estarem em causa valores de mais de 3.500 beneficiários.

“Vamos esperar que na verdade isto aconteça e já não vai ter lugar a greve”, afirmou Cruz que acrescentou ter o seu sindicato recebido garantias do próprio Presidente da República.

“Havendo uma orientação superior a nível do chefe do Executivo é uma garantia bastante para nós não continuarmos a duvidar, pois não temos motivos para duvidar das orientações vindas do Presidente da República. Esta é uma garantia mais que suficiente e então esperar e estamos esperançosos de que não seremos mentidos neste aspecto”, assegurou.

O sindicalista reafirmou que a organização vai continuar a defender de forma intransigente que se cumpra a eleição dos órgãos sociais das universidades públicas que enfermam de males como a corrupção, bajulação e o nepotismo.

O ano académico 2020, arranca nesta sexta-feira com o acto central na província de Benguela.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.