A garantia foi dada à VOA pelo secretário-geral do sindicato.

O caderno reivindicativo apresentado pelo SJA exigia um salário mínimo de 180 mil kwanzas, que começará a ser pago a partir de Junho, mas houve outros acertos.

Aquelas empresas públicas são referidas como tendo as maiores assimetrias do ponto de vista salarial, ao contrário da agência de notícias Angop e as Edições Novembro.

O SJA informou os trabalhadores em assembleia-geral na segunda-feira, 27, do acordo que deixou o secretário-geral do sindicato satisfeito.

Teixeira Cândido, afirma que os objectivos foram alcançadas a quase 100 por cento.

“Apenas a questão da dupla efectividade na RNA não ficou completamente resolvida, mas estamos satisfeitos”, assegura Cândido.

Os trabalhadores dos dois órgãos querem igualmente a transparência nas receitas da publicidade, seguro de saúde, reaproveitamento dos quadros e admissão de novos profissionais somente através de concurso público.

O secretário-geral do SJA reforça que “não há necessidade de convocar a greve” com o acordo que permite a acutalização do salário mínimo em 180 mil kwanzas já a partir do próximo mês.

Refira-se que muitos profissionais da RNA abandonaram o órgão por terem sido proibidos de trabalhar noutros órgãos em somultâneo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.