O sistema, chamado Kupol (ou Cúpula, traduzido de forma livre para português), servirá para detetar do espaço o lançamento de mísseis balísticos, a sua trajetória e o seu alvo, de acordo com os documentos apresentados pelo Estado-Maior da Rússia a adidos militares estrangeiros em Moscovo.

As fotografias dos documentos chegaram a ser publicadas no próprio site do Ministério da Defesa russo.

No âmbito deste programa, a Rússia já terá lançado três satélites Tundra para a órbita da Terra, em 2015, 2017 e 2019, com o intuito de alertarem o mais rápido possível para possíveis ataques inimigos.

No entanto, a arquitetura completa do Kupol, que aspira a ser o equivalente ao sistema SBIRS dos Estados Unidos, não é conhecida.

Segundo o chefe de Estado-Maior russo, Valéri Guérasimov, o satélite recentemente colocado em órbita "aumentou significativamente a capacidade da Rússia de garantir a deteção de lançamentos de mísseis balísticos".

Na terça-feira, o Congresso dos Estados Unidos votou um orçamento de 738 mil milhões de dólares para criar, como Trump quer, uma "força espacial", embora a mesma esteja sob dependência da força aérea do país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.