Ao intervir nas conversações oficiais entre delegações governamentais dos dois países, o Chefe de Estado referiu que esses sectores podem ser variados, tendo em conta o enorme potencial de que Angola dispõe.

Segundo João Lourenço, o Executivo angolano confere actualmente a mais alta prioridade ao investimento privado na economia do País, daí o desejo de ver reforçado o investimento de empresas russas.

Realçou, neste âmbito, iniciativas de empresários russos que investiram na produção de fertilizantes l, tractores e alfaias agrícolas em Angola, tendo solicitado o apoio do Presidente russo, Vladimir Putin, e das instituições do País, para o encorajarem as oportunidades de negócios do mercado angolano.

Ainda no domínio da cooperação económica e empresarial, João Lourenço apontou, nas conversações, o desempenho da Companhia Diamantífera russa ALROSA, e sublinhou a relevância do domínio do petróleo e gás.

Lembrou que, nos domínios do petróleo e gás natural, também foi estabelecido um conjunto de ideias no quadro da 5ª sessão da Comissão Intergovernamental Angola-Rússia, em cujo contexto se perspectivam a concretização de projectos conjuntos, quer ao nível da cooperação institucional, quer empresarial.

Afirmou, a respeito da cooperação, que há perspectivas bastante interessantes que já foram abordadas entre as partes e que, se for necessário, podem ser revistas em detalhe pelos respectivos sectores ministeriais.

Formação de quadros

Durante as conversações, o Chefe de Estado angolano fez também referência ao papel que a Rússia desempenha na formação de quadros angolanos, desde a época da então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Disse, a esse respeito, que a grande aposta do Executivo angolano continua a residir na formação de especialistas nos mais variados ramos do saber, para que, deste modo, se construam as bases sobre as quais assentará o desenvolvimento de Angola.

Expressou o desejo de continuar a ter a colaboração, abertura e disponibilidade da Rússia, para que os jovens angolanos cheguem às melhores universidades, Institutos, escolas técnicas e outras instituições do ensino médio e superior, civis e militares.

Solicitou ao seu homólogo Vladimir Putin para que a Rússia conceda bolsas de estudo destinadas a beneficiar jovens que se foram destacando pela sua dedicação e inteligência nas escolas de formação inicial.

Durante as conversações, João Lourenço confessou-se muito honrado por realizar a sua primeira visita de Estado à Federação da Rússia, que ocorre dez anos depois da sua última ao mais alto nível.

Apontou como grande objectivo da sua missão em Moscovo abordar todos os aspectos relativos às relações bilaterais, por forma a redinamiza-las e fazer com que adquiram o mesmo volume e intensidade que as caracterizam durante décadas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.