Agentes da Guarda Civil identificaram e interrogaram 25 internos de diferentes prisões espanholas, acusados de fazer parte de um grupo relacionado com o Daesh, dedicado à radicalização de prisioneiros, segundo o Ministério do Interior espanhol.

Eles são, na sua maioria, marroquinos ou espanhóis de origem marroquina, assim como espanhóis "convertidos" e dinamarqueses, disse a fonte, que forneceu escassos detalhes, como se os presos tinham algum tipo de contacto anterior com o Estado Islâmico.

Espanha foi atingida em agosto de 2017 por um duplo ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, em Barcelona e Cambrils, que deixou 16 mortos.

Em março de 2004, Madrid foi o cenário do mais mortal ataque jihadista na Europa, quando várias bombas colocadas em comboios de passageiros em Madrid causaram 191 mortes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.