O líder do partido no poder discursava na IV sessão extraordinária do Comité Central do MPLA.

O VI Congresso extraordinário do MPLA deverá, entre outras questões, eleger João Lourenço como Presidente do MPLA, em substituição de José Eduardo dos Santos, que comanda o partido desde 1979.

"Desejamos que o VI congresso extraordinário, que vai marcar uma transição política no seio do partido, se afirme como um momento de unidade e de coesão política e ideológica", afirmou José Eduardo dos Santos.

Para si, está na fase derradeira a preparação do VI congresso. A direcção, os militantes, simpatizantes e amigos do partido não têm poupado esforços, para que conclave seja um êxito e alcance os objectivos pretendidos.

Os 268, dos 363, membros do Comité Central presentes na sessão vão apreciar também os projectos de informação do MPLA ao VI congresso extraordinário e o projecto de regulamento de atribuição dos títulos de Presidente Emérito, de membro honorífico do Comité Central e de militante distinto do MPLA, em conformidade com os estatutos da organização partidária.

O Presidente do MPLA acredita que os documentos, a serem submetidos ao congresso, espelham a vontade da massa militante, que foi  devidamente consultada através do comités provinciais, que realizaram reuniões plenárias no período de 7 a 12 de Junho deste ano.