"Não descansaremos enquanto os seus perpetradores não forem neutralizados e responsabilizados, para isso as nossas Forças de Defesa e Segurança estão no terreno, firmes e implacáveis", afirmou Filipe Nyusi, numa declaração à nação na Praça dos Heróis em Maputo, por ocasião do Dia da Independência Nacional, que se assinala hoje.

Filipe Nyusi defendeu ponderação e uma reflexão profunda sobre as motivações por detrás da atuação dos referidos grupos, descrevendo-os como "insurgentes e malfeitores alegadamente de inspiração religiosa".

"Trata-se de atos hediondos que repugnam a todos, porque atentam contra a ordem pública e semeiam luto nas famílias moçambicanas", declarou Filipe Nyusi.

O chefe de Estado frisou que muitos moçambicanos estrangeiros supostamente membros desses grupos já foram capturados pelas Forças de Defesa e Segurança e entregues à justiça.

Filipe Nyusi destacou que o combate contra a instabilidade semeada pelos grupos deve ser feito no respeito pelos direitos humanos e no quadro do Estado de Direito.

Os grupos começaram a protagonizar ataques em outubro passado e já causaram a morte a dezenas de pessoas.

Centenas de casas foram queimadas pelos grupos, que têm também vandalizado património privado e público.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.