O estadista namibiano  assume o segundo mandato de cinco anos na liderança do Estado namibiano.

A par do Presidente João Lourenço, que regressa ainda hoje a Luanda, confirmaram presença na cerimónia de posse outros estadistas de países fronteiriços como Cyril Ramaphosa (África do Sul) e Filipe Nyusi (Moçambique).

Hage Geingob foi reeleito nas sétimas eleições democráticas realizadas a 27 de Novembro de 2019, após ter cumprido um primeiro mandato iniciado em 2015.

Na última disputa eleitoral, o Presidente eleito da Namíbia obteve 56,3 por cento dos votos, contra 28 do candidato independente, Panduleni Itula.

O jornal "The Namibian", no editorial da edição de sexta-feira encorajou Hage Geingob a implementar reformas urgentes para combater a corrupção e a impunidade, tal como as encetadas em Angola e na Tanzânia.

Nascido a 3 de Agosto de 1941, Hage Geingob já exerceu as funções de primeiro-ministro namibiano em duas ocasiões.

A Namíbia se rege por uma democracia presidencialista e tem um parlamento bicamaral formado pelo Conselho Nacional e pela Assembleia Nacional.

O país vizinho do sul de Angola tornou-se politicamente independentemente a 21 de Março de de 1990.

Tem uma população estimada em 2,1 milhões de habitantes, sendo um dos territórios menos povoados do mundo.

A agricultura, o turismo e a indústria de mineração (diamantes, urânio, ouro e prata) formam a base da economia do país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.