Por obedecer à legislação europeia, Gibraltar não pode dar resposta positiva ao pedido dos Estados Unidos”. No comunicado divulgado as autoridades locais de Gibraltar são claras: está fora de questão capturar por mais tempo o navio iraniano e os dois milhões de barris de petróleo que ele transporta.

Na passada quinta-feira as autoridades anunciaram que o navio poderia regressar ao mar. As autoridades britânicas afirmaram que receberam garantias do Irão de que o carregamento de petróleo não tinha como destino a Síria.

Os Estados Unidos pediram o prolongamento da retenção do petroleiro, pouco antes da luz verde do tribunal de Gibraltar para que o navio seguisse viagem. Acusam a embarcação iraniana de tráfico de petróleo para a Síria violando o embargo imposto pela União Europeia.

A apreensão do Adrian Darya-1 pelas autoridades de Gibraltar e pela marinha britânica deu origem a uma crise diplomática entre o Irão e o Reino Unido. Teerão chegou a interceptar três petroleiros como medida de retaliação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.