"A máquina publicitária convida sempre à troca de presentes novos para fazer surpresas. Mas esta é a festa que agrada a Deus?", questionou o papa aos fiéis na sua tradicional audiência de quarta-feira.

"O Natal é preferir a voz silenciosa de Deus ao barulho do consumismo", definiu o líder de cerca de 1,3 mil milhões de católicos em todo o mundo.

"Se o Natal se limitar a uma bela festa tradicional, em que nós temos um lugar central e não Ele, será uma oportunidade perdida. Por favor, não transformem o Natal em um evento mundano!", recomendou.

"Hoje em dia, corremos como nunca durante o resto do ano", disse o chefe de Estado do Vaticano, julgando esse frenesim contrário a um sentimento religioso.

"Não será Natal se procurarmos os brilhantes vislumbres do mundo, se nos empanturrarmos com presentes, almoços e jantares, mas nem sequer ajudarmos um pobre", acrescentou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.