O hospital com uma capacidade para 250 camas e com mais de 300 pacientes internados tem-se debatido com a falta de medicamentos.

“Há enfermeiros que vendem medicamentos aos  internados”, disse um dos pacientes.

Outros falaram da fata de condições e de medicamentos que, segundo disseram, resulta na morte de pacientes.

Rodrigues Leornardo, director do Hospital Sanatório de Luanda, nega as acusações e diz que as denúncias devem ser feitas em canais internos do hospital para se detectar a rede dos comerciantes.

“No hospital não se vende medicamento e se há qualquer denúncia é importante que se faça formalmente para que se possa aferir quem vende os medicamentos”, disse.

O Hospital Sanatório de Luanda, localizado no bairro Palanca, foi construído há mais de 50 anos e conta com 25 médicos, sendo 18 angolanos e sete cubanos, bem como 215 enfermeiros.

Estima-se que o sanatorio precisa de um total de 87 médicos para poder responder às necessidade.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.