Durante a manhã de hoje, os bombeiros já tinham resgatado o corpo de um homem e de uma mulher.

Quatro pessoas permanecem desaparecidas, neste que é o sexto dia de buscas.

As buscas irão continuar durante a noite, com mais de 100 profissionais a atuar no local, com equipas cinotécnicas, auxílio de ‘drones’, helicópteros e diversos equipamentos especializados.

A zona em que os dois prédios desabaram, na sexta-feira, faz parte de um complexo de comunidades pobres da zona oeste do Rio de Janeiro e, de acordo com o prefeito de Câmara do Rio de Janeiro, Marcello Crivella, tratava-se de um loteamento ilegal.

Num depoimento na esquadra local, o presidente da associação de Moradores da Muzema, Marcelo Diniz, disse não saber quem construiu os prédios e que não há ação de milícias – grupos de criminosos, alegadamente autores da construção daqueles edifícios – na região.

No entanto, o Ministério Público e a Polícia Civil investigam a ação de grupos criminosos naquele território.

Apesar de não haver explicação oficial para as causas dos desabamentos, há suspeitas de que as fortes chuvas que atingiram a região do Rio de Janeiro na última semana possam ter causado este novo desastre, já que houve uma grande concentração de águas e deslocamento de terras na zona em que os prédios que desabaram.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.