A informação foi prestada hoje (quarta-feira), à Angop pelo assessor da CACL, Edson Cruz, que lamentou o facto dos munícipes, sistematicamente, vandalizarem os equipamentos do Largo da Independência.

Edson Cruz disse que deve ser a terceira ou quarta vez que as bombas e o sistema eléctrico são furtados, chegando ao ponto de, em alguns casos, o pavimento ser danificado e de os meliantes deixarem os repuxos num estado de insalubridade extrema.

Para além do Largo da Independência, os do Ambiente e Rio de Janeiro também são constantemente vandalizados, com o roubo de algumas plantas e danos nos bancos .

Como solução aventou a hipótese de  negociar com as empresas de publicidade com placares próximos dos espaços verdes, no sentido de colocar seguranças em troca do pagamento da publicidade nos distritos.

De acordo com o responsável, a CACL tem realizado campanhas para a reabilitação de alguns Jardins, com destaque para o Largo do Chamavo, Ambiente, Kinanga e os da Avenida Mortala Mohamed, na Ilha do Cabo.

No âmbito do mesmo projecto, a Comissão Administrativa de Luanda perspectiva a recuperação do espaço verde do viaduto da Avenida Deolinda Rodrigues.

O Largo da Independência, antes do Primeiro de Maio, foi palco da proclamação da Independência Nacional em 11 de Novembro de 1975.

Bem no centro do largo está a estátua do primeiro presidente angolano, António Agostinho Neto, que proclamou a independência.

Actualmente, o espaço além de ser um local  histórico é ponto de encontro de manifestantes, casais e famílias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.