Em entrevista exclusiva à Angop, a primeira mulher a assumir o cargo de vice-presidente do partido no poder justificou que são as mulheres a identificar os problemas e, também, a encontrar as soluções para os mesmos nas comunidades.

Ao falar dos desafios a enfrentar como vice-presidente do MPLA, que responde também pelos quadros, disse que os principais são as eleições autárquicas de 2020, para as quais têm que mobilizar os militantes, além de dar os subsídios para conferir maior dignidade às crianças e aos idosos.

Surpresa com a indicação do seu nome para o cargo, Luísa Damião reconheceu a responsabilidade que é ser a primeira mulher a chegar a vice-presidente do MPLA e promete representar bem todas as mulheres, que, aliás, constituem 52 por cento da população angolana.

Luisa Damião foi eleita vice-presidente do MPLA na sequência do VI congresso extraordinário do partido, realizado no último sábado, em Luanda, que elegeu João Lourenço como presidente da formação partidária.