Com capacidade para internar 75 pacientes, o Hospital Municipal de Camanongue possui áreas de medicina, pediatria, obstetrícia, serviços de laboratório, imagem, raio X, ecografia, sala de partos, bloco operatório e uma morgue.

A unidade sanitária, que também conta com uma sala para os serviços de Tele-Medicina, vai igualmente atender doentes dos municípios vizinhos da região, nomeadamente, do Léua, Cameia e Dala (Lunda Sul).

O novo hospital vai ser assegurado por três médicos especializados em clínica geral, 33 enfermeiros, sendo 18 efectivos e 15 eventuais. Nesta primeira fase, arranca com os serviços de medicina geral.

Para o normal funcionamento, a instituição precisa de 20 médicos de várias especialidades e 55 enfermeiros.

O pleno funcionamento do bloco operatório vai depender dos resultados da cooperação com os técnicos da República de Cuba e do próximo concurso público da saúde para a contratação de especialistas angolanos.

Por se localizar ao longo da Estrada Nacional 180, que liga Luena a Saurimo e Malanje, o hospital constitui uma mais-valia para a  assistência de eventuais acidentes que ocorrem nessa via.

A direcção da Saúde pretende transformar a unidade hospitalar numa escola de formação graduada e de estágio para os estudantes do curso de enfermagem das escolas do ensino médio e superior, bem como para a formação de médicos de família para as comunidades.

A administradora municipal de Camanongue, Ana Filomena Chipóia, enalteceu a entrada em funcionamento do hospital, afirmando que o mesmo terá diversas valências em serviços que antes não existiam.

O paludismo, a hipertensão arterial, as doenças diarreicas e respiratórias são as mais frequentes no município, que também possui 15 postos de saúde.

A administradora municipal também apontou o traumatismo como das principais ocorrências na localidade, devido aos acidentes na Estrada nacional 180.

As obras do hospital, de subordinação central, iniciaram em 2014 e paralisaram dois anos mais tarde (2016), em consequência da crise financeira que o país vive.

Na antiga infra – estrutura do hospital -, segundo a administradora local, passarão a funcionar os gabinetes municipais da Saúde e da Justiça.

Situado a 52 quilómetros a norte da cidade do Luena, capital da província do Moxico, Camanongue conta com 32 mil e 761 habitantes, distribuídos nas regedorias de Mussiringinge, Muapezo, Mazemba e Sambavu, na sua maioria camponeses.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.