“A minha demissão do Governo, que representei com orgulho, deve-se a motivos pessoais e políticos, que considero fundamentais para a salvaguarda da minha dignidade, da qual tenho direito e não abdico”, escreve Suzi Barbosa, na carta enviada a Gomes, em que garante que “enquanto guineense e deputada da nação” continuará a das as suas contribuições para o desenvolvimento do país.

“Enquanto ministra, assumi o desafio e a responsabilidade patriótica de defener o programa do Governo com base nas orientações políticas e no interesse supremo do nosso país, e procurei basear todas as minhas acões e intervenções com base no profissionalismo e na competência, sempre imbuída de sentido de Estado e do espírito de trabalho em prol do desenvolvimento nacional”, acrescenta Barbosa.

A chefe da diplomacia guineense, tem sido alvo de críticas por parte de sectores do PAIGC depois de integrar a comitiva do Presidente eleito Umaro Sissoco Embaló na visita que fez à Nigéria, supostamente sem conhecimento do Governo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.