Embaixador de carreira, que representou o Estado angolano na Alemanha, França, Marrocos, Holanda e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Luís de Almeida morreu quarta-feira, na capital angolana, aos 87 anos, vítima de doença.

Em nota, o departamento ministerial considera-o pan-africanista destemido e de enorme dimensão, que dedicou a sua vida às mais nobres causas da nação angolana.

"A sua dedicação e talento, ao longo de mais de 40 anos de serviço diplomático, ficam incomensuravelmente reconhecidos", lê-se na mensagem de condolências.

Conforme o Mirex, Luís José de Almeida serviu o país durante muitos anos, tendo-se notabilizado como grande nacionalista, patriota, ancião, lendário e mestre, sempre preocupado e dedicado à afirmação de Angola no contexto das nações.

Noutra nota, o  embaixador de Angola no Reino de Marrocos, Baltazar Diogo Cristóvão, aponta o diplomata como "uma das figuras dos primórdios da diplomacia angolana".

"Luís José de Almeida foi um respeitado e histórico diplomata (...), que dedicou toda a sua juventude e vida à causa do povo angolano", sublinha na mensagem.

Acrescenta que o diplomata foi um dos impulsionadores da diplomacia angolana, desempenhando papel importante como jornalista e na abertura de embaixadas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.