Um pré-acordo foi conseguido hoje entre Malta e 4 outros países da União europeia para a implementação de um sistema de repartição automática de migrantes que chegam a Malta ou a Itália, anunciaram em conferência de imprensa, em La Valette, no final duma mini-cimeira sobre a imigração.

As delegações dos países envolvidos qualificaram o documento de base de acordo cujo conteúdo será submetido para aprovação a um conselho europeu sobre assuntos internos no Luxemburgo a 8 de outubro precisaram os ministros do Interior da Alemanha, França, Malta e Itália, sob a presidência finlandesa da União europeia.

Malta e Itália, primeira etapa para alargar acordo 

“É uma primeira etapa dos 4 países, entre os quais, Malta e Itália, que estão directamente implicados no desembarque de migrantes nas suas costas”, explicou o ministro francês do Interior, Christophe Castaner.

“O acordo é temporário reduzido à zona do Mediterrâneo central, mas desejamos uma reforma ambiciosa incluindo também Espanha, Grécia e Chipre”, sublinhou ainda o ministro francês.

Vários especialistas e eurodeputados, reagiram dizendo temer que a decisão de repartir os imigrantes apenas pelo Mediterrrâneo central seja tida como injusta já que não vai abranger outros estados da União europeia.

Desde o começo do ano apenas 13% dos 67.000  imigrantes irregulares chegados à Europa desembarcaram na Itália ou em Malta, contra 57% na Grécia e 29% em Espanha.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.