De acordo com o oficial de ligação e informação da Comissão da Acção contra Minas na região, Lourenço Antunes, em declarações hoje, segunda-feira, à Angop, o trabalho está a cargo de uma ONG e já permitiu a limpeza de cerca de seis quilómetros lineares e 30 de largura.

A fábrica, com capacidade para processar 400 milhões pés cúbicos de gás natural/dia, será construída pela petrolífera ENI-Angola, cujo projecto foi apresentado pelas autoridades governamentais locais em Fevereiro deste ano.

De acordo com o responsável, para este ano está prevista igualmente a desminagem dos 110 quilómetros do troço rodoviário Tomboco/Lufico/Mpala, no município fronteiriço do Nóqui.

Apontou ainda a desminagem da estrada Cabeça de Cobra/Mbinga, na comuna do Quelo (Soyo), para permitir a montagem de uma estrutura metálica sobre o rio Lukulo, como outra prioridade do seu sector para o presente ano.

De Janeiro a Março deste ano foram desactivados, na província do Zaire, 249 engenhos explosivos não detonados, com realce para minas anti-pessoal e munições diversas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.