Mais de 500 migrantes foram transferidos para albergues temporárias esta quinta-feira, depois de a polícia francesa ter desmantelado um campo de migrantes em Paris.

Esta operação, a sexagésima na capital francesa desde o início da crise migratória em 2015, terá sido realizada sem incidentes e sob supervisão policial, três semanas depois da evacuação de uma parte destes campos de migrantes alojados em Porte de la Chapelle, com 1600 migrantes .

“Mais de 500 pessoas, entre os quais 216 em situação delicada, entre as quais crianças ou mulheres , foram levadas para abrigos para examinar a situação”, explicou um coordenador da operação à agência francesa France-Presse.

As autoridades francesas prometeram concluir, nas próximas semanas, o desmantelamento dos acampamentos insalubres no nordeste de Paris para evitar qualquer reintegração de migrantes nas ruas.

Para as associações, que acompanham a evacuação completa, realizada em duas etapas, levantam problemas.

“Durante vários dias, vimos migrantes a voltarem para as ruas, cujos poucos bens foram destruídos e que encontraram refúgio em tendas junto à circular externa de Paris”, denunciaram 23 associações que defendem os migrantes, entre os quais Médicos do Mundo.

As Organizações não governamentais também denunciaram o “assédio da polícia” e o “ciclo infernal das evacuações e reaparecimento de campos”

A maioria dos migrantes fogem da guerra e da miséria no continente africano ou do Médio Oriente à procura de segurança na Europa. Muitos migrantes não têm documentos, outros são refugiados ou aguardam uma resposta a pedidos de asilo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.