João Lourenço, que falava no final de um encontro que manteve com a chanceler alemã Angela Merkel, que visita Angola pela segunda vez, defendeu parceiras publico-privadas, com destaque para a exploração dos Caminhos-de-Ferro de Benguela.

Pro seu lado, Angela Merkel manifestou a disponibilidade dos empresários alemãesem investir em Angola e regozijou-se com as reformas económica e política do Governo de João Lourenço.

Na ocasião, os dois governos assinaram vários acordos de cooperação, nomeadamente  nos domínios da banca, formação de quadros, investigação científica e  transportes.

Ainda nesta sexta-feira, os dois estadistas inauguram o Fórum Económico Angola-Alemanha no qual empresários dos dois países vão procurar interesses comuns, particularmente em Angola.

A delegação de Markel integra, entre outros responsáveis, o presidente do Grupo Volkswagen na África do Sul, o alemão Thomas Schaefer, cuja empresa vai instalar uma fábrica de montagem de veículos dna Zona Económica Especial Luanda/Bengo.

A chanceler alemã visitará ainda o Museu de Antropologia, que iniciou um programa de cooperação com o Instituto Goethe em Angola e a Fundação do Património Cultural da Prússia, e uma empresa alemã, onde tem encontro marcado com angolanos que estudaram na Alemanha.

Merkel, que esteve na África do Sul durante dois dias tambéem com uma agenda económica, deixa Luanda no sábado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.