O general Zé Maria, em prisão domiciliária desde 17 de Junho do ano em curso, é acusado e pronunciado pelos crimes de insubordinação e extravio de documentos, aparelhos ou objectos com informações de carácter militar.

Nomeado para aquelas funções em 2009, Zé Maria foi exonerado em 2017, pelo Presidente da República, João Lourenço.

O antigo chefe do Serviço de Inteligência e de Segurança Militar chegou a ter o julgamento inicialmente marcado para 4 de Setembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.