José Eduardo dos Santos discursava hoje na abertura da IV sessão extraordinária do Comité Central (CC) do MPLA, realizada para analisar os preparativos do VI congresso extraordinário do partido no poder, que se realiza a 08 de setembro próximo.

Segundo José Eduardo dos Santos, líder do partido desde 1979, o encontro de hoje visa proceder à apreciação do projeto de informação do Comité Central do MPLA ao congresso.

Por outro lado, será apreciado o projeto de regulamento da atribuição dos títulos de presidente emérito, de membro honorífico do CC e de “militante distinto” do MPLA, em conformidade com os estatutos do partido.

O também ex-Presidente da República, que esteve 38 anos no poder, referiu que a preparação do congresso entrou na fase derradeira, “para a qual os membros da direção do partido, os militantes, simpatizantes e amigos não têm poupado esforços para que seja um êxito e alcance os objetivos pretendidos”.

“Na verdade, desejamos que o VI congresso extraordinário, que vai marcar uma transição política no seio do partido, se afirme como um momento de unidade e de coesão política e ideológica”, disse Eduardo dos Santos.

Segundo o líder do MPLA, os documentos submetidos à consideração do CC “espelham a vontade da massa militante do partido, que foi devidamente consultada, através dos respetivos comités provinciais, que realizaram reuniões plenárias no período de 07 a 12 de junho do presente ano”.

Deste modo, o Comité Central submeterá ao congresso dois projetos de resolução, ligados ao primeiro chefe de Estado, Agostinho Neto, conferindo-lhe os títulos de “Presidente Emérito do MPLA” e de “Membro Honorífico do Comité Central”.

No congresso serão apresentados três outros projetos de resoluções do Comité Central, todos ligados a José Eduardo dos Santos, que será condecorado com os títulos de “Presidente Emérito do MPLA”, de “Membro Honorífico do Comité Central” e de “Militante Distinto do MPLA”

Também no Congresso, o atual Presidente de Angola, João Lourenço, atual vice-presidente do MPLA, vai suceder a José Eduardo dos Santos na liderança do partido.