Na Cimeira, que decorreu por videoconferência, os líderes da CEEAC, reunidos por mais de seis horas, abordaram com profundidade, entre outras questões, as reformas da instituição.

"Foi feita a revisão do tratado da organização, bem como procedeu-se à análise dos seus protocolos, no quadro da nova dinâmica que se pretende para a CEEAC", afirmou, no final da reunião, o ministro das Relações Exteriores, Téte António.

Em declarações à imprensa, o chefe da diplomacia angolana sublinhou que as reformas em curso visam dar uma nova dinâmica à organização, com realce para o seu Secretariado.

Por seu lado, o embaixador angolano Gilberto Veríssimo, que vai presidir a Comissão da CEEAC nos próximos cinco anos, considera fundamental fazer com que a organização seja vista pelos habitantes dos Estados-membros como um espaço comum.

A CEEAC foi criada em Libreville, Gabão, em 1983, e tem como objectivos a promoção da cooperação e do desenvolvimento auto-sustentável, com particular ênfase para a estabilidade económica e melhoria da qualidade de vida da população da região.

Os 11 Estados-membros da Comunidade Económica dos Estados da África Central são Angola, Burundi, Camarões, República Centro-Africana, Tchad, República do Congo, República Democrática do Congo, Rwanda, Guiné Equatorial, Gabão e São Tomé e Príncipe.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.