Orçado em 545 mil dólaresserá transferido ao UNICEF e vai reforçar o apoio prestado ao longo dos últimos meses nestas duas áreas cruciais para o desenvolvimento da criança: nutrição e a imunização.

Segundo uma nota de imprensa enviada à ANGOP, o governo do Japão quer, por meio deste financiamento ao UNICEF, reforçar o seu compromisso com a criação de um ambiente favorável para o desenvolvimento integral de cada criança, particularmente aquelas que vivem em situações que aumentam a sua vulnerabilidade.

Uma parte dos fundos é destinada à área de nutrição e contribuirá para apoiar o fornecimento de intervenções integradas a 38 mil  pessoas, incluindo crianças e mulheres do município de Ombandja, um dos mais afectados pelos efeitos climáticos na província do Cunene.

Com estes fundos, o UNICEF pretende apoiar as autoridades do Cunene a garantir que 16 mil crianças menores de 5 anos tenham acesso à prevenção e rastreio da desnutrição aguda e 12 mil em idade escolar beneficiem de acções de desparasitação.

Para além disso, prevê-se ainda a compra de suplementos nutricionais e desparasitantes para crianças em idade escolar e a formação de 30 professores que farão a vigilância nutricional e aconselhamento sobre práticas de alimentação de bebés e crianças pequenas.

Uma segunda parte do financiamento servirá para apoiar as acções de imunização nos municípios de Cacuaco e Viana, província de Luanda, nos domínios da formação de técnicos de vacinação e responsáveis pela promoção da saúde a nível comunitário, de modo a que estejam preparados para responder a qualquer tipo de surto e reforcem a mobilização das comunidades para atenderem as acções de vacinação.

Desta forma, lê-se no comunicado,  pretende-se reforçar a ligação entre as intervenções de emergência com as campanhas e as acções de vacinação de rotina.

“Com este financiamento, temos mais um exemplo de congregação de esforços múltiplos entre parceiros, com o objectivo principal de acudir as necessidades das populações mais afectadas pelas diversas emergências que ocorrem no país”, diz Jean Francois Basse, representante interino do UNICEF em Angola.

O responsável adiantou que o UNICEF tem uma tradição histórica de parceira com o Governo Japonês, tendo, ao longo dos últimos anos, beneficiado de vários financiamentos que permitiram dar resposta à várias situações de emergência, como é o caso mais recente da resposta a crise de refugiados na Lunda Norte.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.