A nota indica que o grupo era integrado por naturais de Angola Camarões e da República Democrática do Congo.

Imagens de vídeo divulgadas pela agência mostram homens e mulheres a atravessarem o Rio Grande, muitos deles com crianças e pertences.

Este é o maior grupo de imigrantes do continente africano detidos na fronteira este ano, o que, para o responsável da agência, Raul Ortiz, “demonstra a complexidade e severidade da segurança na fronteira e da crise humanitária”.

No sábado, 1 de Junho, foi detido outro grupo, com 37 imigrantes  da África Central, que já tinham cruzado o Rio Grande, revelou a agência na terça-feira, 4.

Em resposta por e-mail à VOA, um porta-voz do CBP disse que dos 37, “23 eram da República do Congo e 13 eram da República Democrática do Congo, dos quais quatro foram avaliados num hospital local, mas não exigiram tratamento.”

A agência acrescentou que desse último grupo 20 foram libertados e serão notificados para uma audiência junto de um juiz, enquanto os restantes casos estão a ser analisados.

Agentes da Patrulha da Fronteira detiveram mais de 27 mil pessoas de 37 países, além dos provenientes do México, desde 1 de Outubro de 2018.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.